Última hora

Última hora

Kiranas da Índia têm futuro

Em leitura:

Kiranas da Índia têm futuro

Tamanho do texto Aa Aa

As lojas de bairro onde se encontra de tudo constituem um pilar da vida quotidiana na Índia.

Estes negócios que se herdam de pais para filhos têm como pontos fortes a localização e os serviços que oferecem aos clientes, que vão desde o crédito até a entrega ao domicílio, e fazem da Índia o país com mais densidade de comércios do mundo.

Há 50 milhões de lojas chamadas Kirana que garantem a sobrevivência financeira de 200 milhões de pessoas.

A venda a retalho, na Índia, está amplamente dominada pelas “kiranas”, a venda organizada em supermercados só representa 5% do setor. Mas com o crescimento da classe média e o aumento dos rendimentos, o setor promete.

Atualmente, traduz-se num volume de negócios de 368 mil milhões de euros, segundo as câmaras de comércio, e 278 mil milhões de euros segundo o Governo, mas em 2020 atingirá mil milhares de euros.

Com a abertura do comércio a retalho aos gigantes mundiais da grande distribuição, os proprietários de kiranas temem ser apagados do mapa.

Vijay Kumar Jain. Comerciante:

“-Esta reforma terá um impacto enorme. Vai acelerar o desemprego e os negócios sofrerão até ao extremo, até ao fecho dos pequenos comércios, pois não vão conseguir fazer face às despesas, portanto, está claro que afetará a seus comércios.”

Mas a abertura do mercado da venda a retalho às grandes cadeias estrangeiras de distribuição está longe de se fazer sem condições…

-A participação no capital limita-se ao 51%.
-As cidades onde se instalarem devem ter, pelo menos, um milhão de habitantes.
-Cada Estado da Índia deve dar a aprovação.
-O investimento mínimo é de 77 milhões de euros e 30% dos produtos vendidos serão de origem local.

Com estas limitações às grandes superfícies, que terão que se situar obrigatoriamente fora das cidades, e o crescimento demográfico, as kiranas, afinal, têm futuro.