Última hora

Última hora

Polónia e Ucrânia homenageiam vítimas da repressão estalinista

Em leitura:

Polónia e Ucrânia homenageiam vítimas da repressão estalinista

Tamanho do texto Aa Aa

Os presidentes ucraniano Viktor Yanukovych e polaco Bronislaw Komorowski inauguraram esta sexta-feira em Kiev um memorial onde estão sepultadas 100.000 vítimas da repressão estalinista, incluindo 3.500 oficiais polacos executados em 1940 no denominado massacre de Katyn.

“A representação polaca iniciou a cerimónia em memória dos soldados mortos, após a inauguração oficial do Memorial das Vítimas do Totalitarismo. Os polacos chamam a este local o quarto Cemitério
Memorial de Katyn”, sublinhou a jornalista da Euronews no local.

Junto do memorial, situado numa floresta perto da antiga aldeia de Bykivnia nos arredores de Kiev, os dois chefes de Estado depositaram coroas de flores e observaram um minuto de silêncio.

“Isto é uma experiência vivida pelas nossas nações e um drama do nosso povo que viveu num sistema totalitário com uma visão comum do futuro”, afirmou o presidente polaco.

Em Bykivnia estão sepultadas entre 100 e 120 mil pessoas mortas pela NKVD, a polícia política de Estaline, entre 1937 e 1941. Apenas 14.000 foram identificadas.

“Lembro-me de quando tinha cinco anos, homens vestidos com casacos de couro terem entrado em nossa casa e levado o meu pai. Nada mais. Depois disso eu e a minha mãe passámos a ser “inimigas do povo”, disse a filha de uma vítima da NKVD.

Vinte e dois mil oficiais, polícias e intelectuais polacos foram executados em 1940, em vários locais da Rússia e da Ucrânia.
Essa tragédia é conhecida como o massacre de Katyn, nome de uma floresta perto de Smolensk no oeste da Rússia.