Última hora

Última hora

ONU: Ahmadinejad acusa Israel e EUA de "lançarem corrida às armas"

Em leitura:

ONU: Ahmadinejad acusa Israel e EUA de "lançarem corrida às armas"

ONU: Ahmadinejad acusa Israel e EUA de "lançarem corrida às armas"
Tamanho do texto Aa Aa

O presidente Mahmoud Ahmadinejad não fugiu à tradição ao denunciar, esta tarde, frente à Assembleia geral da ONU, o que chamou de “manobras de intimidação de Israel e dos países ocidentais”.

Durante um discurso de mais de meia-hora -provavelmente o último como presidente iraniano – Ahmadinejad denunciou as ameaças crescentes de um ataque contra o Irão.

“A corrida às armas e à intimidação com armas nucleares de destruição maciça tornou-se uma prioridade dos poderes hegemónicos. Os testes de armamento ultramoderno e a vontade de revelar este tipo de armas a determinado momento está a ser utilizado como uma linguagem ameaçadora contra as nações para obrigá-las a aceitar uma nova era de hegemonia”.

Durante um discurso boicotado por Estados Unidos e Israel, Ahmadinejad apelou em Nova Iorque a uma “nova ordem mundial”, para virar a página do que considera a hegemonia dos Estados Unidos e do “sionismo”.

“A vontade e a visão das massas tem pouco impacto e influência nas grandes decisões, em particular naquelas que têm a ver com a política exterior e doméstica dos Estados Unidos e da Europa. Os gritos da população nunca são ouvidos mesmo se representassem 99% das respetivas sociedades”.

Ahmadinejad volta assim a utilizar a tribuna da ONU para denunciar a pressão crescente sobre o seu programa nuclear doméstico. A União Europeia prepara-se para adotar novas sanções contra o país, em outubro, que deverão visar nomeadamente o banco central do país.

O discurso na ONU é provavelmente o último de Ahmadinejad enquanto presidente do Irão, uma vez que, segundo a constituição, não poderá apresentar-se a um terceiro mandato nas próximas legislativas.