Última hora

Última hora

Somália: União Africana ocupa bastião dos rebeldes mas os combates prosseguem em Kismayo

Em leitura:

Somália: União Africana ocupa bastião dos rebeldes mas os combates prosseguem em Kismayo

Tamanho do texto Aa Aa

Os tanques e os militares da União Africana já ocuparam o centro de Kismayo, último bastião dos rebeldes, na Somália.

Na sua maioria, os guerrilheiros da milícia islâmica al-Shabaab abandonaram a cidade portuária depois do ataque maciço lançado pela União Africana no fim de semana, mas os combates prosseguem em Kismayo, segundo os relatos das agências de notícias.

As tropas internacionais perseguem agora os rebeldes com ligações à Al-Qaida, como explica o ministro da Defesa da Somália, Hussein Arab Isse:

“Não queremos revelar o local exato, mas sabemos para onde é que foram os rebeldes. Alguns tentaram misturar-se e esconder-se entre a população civil. Nós estamos a utilizar as informações da polícia de Kismayo para correr com eles”.

O Quénia tem sido o país mais afetado pela instabilidade na Somália. Exemplo disso, um posto militar em Garissa, próximo da fronteira foi esta terça-feira atacado à granada, supostamente por rebeldes al-Shabaab.

Mais de 600 mil refugiados da Somália encontram-se atualmente no Quénia.

O caos tomou conta da Somália, campo de batalha dos senhores da guerra desde da deposição do presidente Siad Barre em 1991