Última hora

Última hora

Akçakale: o "epicentro" da tensão entre Turquia e Síria

Em leitura:

Akçakale: o "epicentro" da tensão entre Turquia e Síria

Tamanho do texto Aa Aa

A apenas 500 metros da fronteira com a Síria, a aldeia turca de Akçakale tornou-se, desde ontem, o palco do novo braço de ferro entre Ancara e Damasco.

Um tiro de morteiro disparado do território sírio provocou a morte de cinco membros da mesma família, duas mulheres e três crianças, depois de ter atingido uma residência na localidade.

“Eram todas da minha família e nem uma escapou”, afirma uma habitante.

Desde há vários meses que a bandeira da oposição síria domina o posto fronteiriço, depois dos militares terem desertado o local. Do outro lado da fronteira são frequentes as trocas de tiros e explosões.

“Sou um vizinho das vítimas da explosão. Estamos psicologicamente afetados. Desde há cerca de mês e meio que quase não conseguimos dormir devido ao ruído dos tiros e bombas que, por vezes, se arrasta até de manhã”.

Os corpos das vítimas foram hoje a enterrar, num momento em que o exército turco reforçou a presença junto à fronteira.

Desde há vários meses, que Damasco acusa o vizinho turco de fornecer apoio e armas aos rebeldes, através dos postos fronteiriços controlados pela oposição.

O ministro do trabalho turco visitou os cerca de 13 feridos do ataque, num momento em que Ancara afirmou que, e apesar da tensão diplomática, não pretende cortar o fornecimento de eletricidade ao país vizinho. O ministro da Energia turco, Taner Yıldız, justificou a decisão afirmando, “não temos qualquer diferendo com a população síria, mas sim com o regime sírio”.