Última hora

Última hora

Ancara pede intervenção do Conselho de Segurança da ONU depois de ataque sírio

Em leitura:

Ancara pede intervenção do Conselho de Segurança da ONU depois de ataque sírio

Tamanho do texto Aa Aa

Na conclusão de uma reunião de urgência em Ancara, o governo turco apelou ao Conselho de Segurança da ONU para tomar “as medidas necessárias” para parar a “agressão” síria, depois do ataque que resultou na morte de cinco civis no seu território.
 
A NATO – da qual a Turquia é membro – já apelou à Síria para pôr fim aos atos de agressão contra o país vizinho, considerados uma violação flagrante do direito internacional.
 
O vice-primeiro-ministro turco, Bulent Arinc, afirmou que “houve um ataque em território turco, que resultou na morte de cidadãos do país e existe, para tal, uma resposta no direito internacional. A Turquia é um membro da NATO e alguns dos seus tratados trazem responsabilidades quando um dos seus membros é atacado”.
 
Ancara ordenou o bombardeamento de alvos em território sírio, depois de vários tiros de morteiro se terem abatido sobre a localidade turca de Akçakale, junto à fronteira entre os dois países, resultando na morte de cinco civis.
 
Em declarações à televisão estatal, o ministro sírio da Informação disse que “as autoridades estão a investigar a origem dos tiros que levaram a morte de uma mãe e dos seus filhos junto à fronteira”. Omran Zoabi acrescentou que Damasco apresenta condolências “à família das vítimas e ao povo turco”, com o qual pretende manter a “amizade”.
 
Ancara anunciou também para esta quinta-feira um pedido de autorização ao Parlamento turco para realizar operações militares na Síria.