Última hora

Última hora

"Barco do Aborto" desencadeia protesto em Marrocos

Em leitura:

"Barco do Aborto" desencadeia protesto em Marrocos

Tamanho do texto Aa Aa

As autoridades tentaram impedir a entrada do “barco do aborto” em Marrocos, esta quinta-feira. A ONG holandesa Women on Waves foi recebida no porto de Smir, entre Ceuta e Tetuão, por uma manifestação de protesto e por um forte dispositivo policial e militar. As autoridades também impediram os jornalistas de se aproximarem da marina.

“Os marroquinos consideram isto uma provocação. Eles têm de parar. Penso que todos os marroquinos concordam comigo” – afirma uma manifestante.

O aborto é ilegal em Marrocos e é punido com uma pena de prisão que pode ir até aos 20 anos.

“O barco pode, simbolicamente, ajudar algumas mulheres. Nós podemos navegar até águas internacionais, mas o que fazemos principalmente neste caso é chamar a atenção para o facto de que existem aqui os meios médicos necessários” – explica Rebecca Gomperts da Women on Waves.

De acordo com a ONG holandesa, em Marrocos fazem-se 600 a 800 abortos por dia mas só um terço é feito por médicos.

A Women on Waves enganou as autoridades de Marrocos uma vez que já tinha ancorado um iate na marina de Smir há vários dias.