Última hora

Última hora

Quadro vandalizado na Tate Modern

Em leitura:

Quadro vandalizado na Tate Modern

Tamanho do texto Aa Aa

A galeria Tate Modern, em Londres, conheceu um episódio insólito, com a vandalização de um dos quadros do pintor norte-americano, Rothko.

O autor deste ato é Vladimir Umanets, que deixou o nome grafitado no quadro de Rothko, mas recusa a ideia de ter destruído a pintura.

Umanets ainda não foi detido. Este episódio, para já, está a levar as galerias a refletirem sobre a forma de proteger as obras expostas.Mas há quem defenda que essa não é a solução.

“Seria uma pena porque é muito difícil apreciar uma obra de arte, se não nos pudermos aproximar. Se houver uma série de proteções à volta ou barreiras – especialmente no caso de Rothko -, cuja obra provoca reações muito fortes”, defende um crítico de arte.

Vladimir Umanets apresenta-se como fundador de um movimento a que chama Yellowism, considera o seu grafitti uma obra de arte, diz-se criativo e seguidor do surrealismo de Marcel Duchamp e nega ter cometido um crime.