Última hora

Última hora

Aplausos e manifestações de repúdio pela libertação de uma Pussy Riot

Em leitura:

Aplausos e manifestações de repúdio pela libertação de uma Pussy Riot

Tamanho do texto Aa Aa

Depois de seis meses atrás das grades, Ekaterina Samutsevich saiu, esta quarta-feira, livre do tribunal, perante os aplausos dos apoiantes.

Para a jovem ativista é o momento de voltar a estar com a família, embora não esqueça as duas amigas que continuam detidas.

Para o pai da artista, o momento é de alegria, sim, mas… “Para mim, pessoalmente, é uma vitória. Sofri muito com esta separação da minha filha. Ela esta livre, mas esta condenação de dois anos, embora esteja suspensa, foi decidida com base em acusações que considero injustas e que não podem ser atribuídas ao que ela faz”, lamenta Stanislav Samutsevich.

Muitos fiéis russos manifestaram o seu repúdio pelo ato das Pussy Riot, veementemente condenado pela igreja ortodoxa.

Aliás, segundo uma sondagem recente, dois terços dos inquiridos considerava a pena apropriada ou mesmo demasiado clemente. Apenas 14% a considerou excessiva.