Última hora

Última hora

UE aperta o cerco à economia iraniana

Em leitura:

UE aperta o cerco à economia iraniana

Tamanho do texto Aa Aa

Os ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia, reunidos no Luxemburgo, aprovaram uma nova vaga de sanções contra o Irão.

As medidas, que visam as transações financeiras e os setores das telecomunicações e energia prentedem, uma vez mais, forçar Teerão a regressar à mesa das negociações sobre o seu programa nuclear.

As sanções incluem um embargo às transações bancárias com o Irão e à importação de gás nacional, assim como o congelamento de ativos de 34 empresas iranianas.

Para o responsável da diplomacia alemã, Guido Westerwelle, o novo pacote de sanções, “pretende aumentar a pressão para que as negociações se tornem mais substanciais. As medidas visam o comércio e a banca, os transportes e a energia. Em paralelo vamos reforçar o controlo para evitar que algumas destas medidas possam ser contornadas”.

A diplomacia britânica não exclui a possibilidade de novas medidas para que o regime suspenda a produção de urânio enriquecido a 20%.

Teerão, que rejeita estar a construir uma bomba atómica, anunciou nos últimos meses ter aumentado a sua capacidade de produção de combustível nuclear.

Os inspetores internacionais suspeitam igualmente da existência de centenas de novas centrifugadoras em várias instalações subterrâneas.

A pressão continua dos líderes ocidentais e as repetidas vagas de sanções estão na origem, nas últimas semanas, da maior desvalorização de sempre da moeda iraniana.