Última hora

Última hora

Clube de futebol grego exibe patrocínios de bordéis

Em leitura:

Clube de futebol grego exibe patrocínios de bordéis

Tamanho do texto Aa Aa

Com a corda da Troika ao pescoço, nada nem ninguém escapa à crise grega e o desporto rei não é exceção.

Sem patrocínios e na banca rota, o clube de futebol amador de Voukefalas de Larissa teve de recorrer às ajudas económicas de dois bordéis gregos.

O “Villa Erotica” e o “Soula’s House of History” resgataram o clube composto por jovens estudantes que trabalham em restaurantes e entregam pizzas. Os rapazes ganharam um novo fôlego com as doações de Soula Alevridou de 67 anos, proprietária do Soula House.

“O futebol recebe milhões de euros de casas desportivas de apostas, lotarias, etc. O que é que é isso? Não são jogo do azar? O nosso patrocínio está a incomoda-los? Esqueçam este falso sentido de propriedade. Isto é tudo é uma grande hipocrisia”, atirou Soula, irritada com as críticas que o seu estabelecimento tem recebido no país.

Soula pagou mais de 1000 euros aos jogadores para vestirem uma camisola cor-de-rosa durante os encontros, exibindo igualmente referências ao seu bordel – «Villa Erotica». Porém, a Associação de Futebol de Tessalónica já baniu as camisolas dos encontros, alegando que violam «o contrato desportivo». Mas os patrocínios não se ficaram por aí: depois de três derrotas nos últimos três jogos, Soula encontrou uma nova forma de motivar os seus pupilos, que porém até agora não teve resultados práticos.

“A Senhora Soula prometeu-nos uma noite especial no seu estabelecimento em caso de vitória. Isso não aconteceu, mas o apontamento fica adiado até ao próximo encontro”, revelou um dos jogadores do clube.

Na Grécia, a prostituição é legal e opera mediante uma estrita legislação. A reputação não está a favor do clube Voukefalas de Larissa, mas isso não impede o negócio seja rentável.