Última hora

Última hora

Desdémona vive en Manhattan

Em leitura:

Desdémona vive en Manhattan

Tamanho do texto Aa Aa

Desdémona, na ópera Otelo de Verdi, é um dos papéis que tornaram Renée Fleming mundialmente famosa.

A ópera está em palco no Metropolitan, uma das catedrais mundiais do bel-canto e um dos pontos culturais incontornáveis da Big Apple.

Para Renée, não há nada que se compare a Nova Iorque: “Toda a gente precisa de tempo livre. Quando tenho algum, sou louca pela cultura. Ontem fui a uma estreia no Carnegie Hall e ourtra noite fui a uma estreia na Metropolitan Opera. É um privilégio viver numa cidade com tanta oferta. Tenho orgulho em ser nova-iorquina. A beleza de Nova Iorque é que as lojas estão abertas a noite inteira, não é preciso conduzir, ando de táxi e posso fazer muita coisa a pé. É um estilo de vida saudável”.

Como mulher moderna e independente, Renée Fleming tem uma interpretação muito atual desta ópera de Verdi: “Uma mulher contemporânea vê esta personagem como vítima de violência doméstica. Agora temos um nome para isto. colocar um nome é a primeira etapa para erradicarmos este flagelo. Quando comecei a cantar esta personagem, nunca tinha feito a relação entre as duas coisas, mas numa das últimas vezes percebi claramente que se tratava de violência doméstica”.

Desdémona é uma das personagens-fetiche para Renée Fleming. Mesmo para uma soprano com grande talento e experiência, não é uma personagem fácil de interpretar.

Renée Fleming vê assim a personagem: “Quando vi a ópera pela primeira vez, pensei: coitada desta criatura, não é muito esperta. Ela gosta tanto dele, o amor deles é tão forte. O dueto no primeiro ato é um dos mais gloriosos momentos de ópera. Ela nunca põe em causa os sentimentos dele por ela. Tem provavelmente uma vida muito protegida. Não tem a mesma conceção de uma relação e dos homens que teria uma mulher mais madura e o sentimento de confiança acaba por traí-la”.