Última hora

Última hora

EUA: Sexo, escuteiros & ficheiros secretos

Em leitura:

EUA: Sexo, escuteiros & ficheiros secretos

Tamanho do texto Aa Aa

Já lhes chamam os “ficheiros perversos”, cerca de 14 500 páginas que relatam “as angústias de milhares de escuteiros”, crianças vítimas de abusos sexuais às mãos dos seus líderes e voluntários na Boy Scouts of America.

Após anos de batalha legal, foram esta quinta-feira revelados, por ordem judicial, documentos que relatam 20 anos de pedofilia na maior organização de jovens dos Estados Unidos.

Um dos advogados das vítimas explicou que o objetivo da divulgação dos ficheiros é explicar “às organizações como é que os pedófilos operam” e conseguem “infiltrar-se nas organizações juvenis”.

Nos “ficheiros secretos” dos Boy Scouts são descritos os abusos cometidos entre 1965 e 1985 por mais de 1200 líderes e voluntários da organização de inspiração religiosa, cujo presidente pede agora aos pais para “não julgarem o passado” mas sim o “presente”, garantindo que as crianças estão “provavelmente mais seguras” nos escuteiros do que em “casa”.

Os documentos ficaram na posse dos advogados, na sequência dum caso de pedofilia, julgado em 2010, em que a Boy Scouts of America foi condenada a pagar 20 milhões de dólares e que revelou uma rede de membros dos escuteiros, responsáveis da polícia e do ministério Público que tentaram encobrir os crimes. Outra batalha jurídica procura revelar os ficheiros pedófilos mais recentes dos escuteiros da América.