Última hora

Última hora

Alerta máximo na Coreia do Sul perante a ameaça de ataque do Norte

Em leitura:

Alerta máximo na Coreia do Sul perante a ameaça de ataque do Norte

Tamanho do texto Aa Aa

“Alerta máximo” no exército da Coreia do Sul depois de Pyongyang ter ameaçado atacar uma zona perto da fronteira onde ativistas sul-coreanos costumam lançar, em balões, folhetos de propaganda anticomunista.

Os militantes, quase todos refugiados da Coreia do Norte, têm por objetivo lançar 200 mil panfletos contra o regime de Pyongyang e não entendem porque é que o presidente sul-coreano os quer agora impedir.

A Coreia do Norte ameaçou, na sexta-feira, lançar “um ataque militar sem misericórdia” contra a zona desmilitarizada do parque de Imjingak, próximo da cidade de Paju, 60 quilómetros a norte de Seul.

Não é a primeira vez que Pyongyang ameaça atacar o sul por causa dos panfletos e apesar de nunca ter passado aos atos, Seul prefere jogar pelo seguro, a menos de dois meses das eleições presidenciais, e impediu que os militantes lançassem a propaganda.