Última hora

Em leitura:

As armas pesadas da economia ucraniana


Ucrânia

As armas pesadas da economia ucraniana

O maior investimento feito na Ucrânia, desde a independência, foi o Interpipe de Dnepropetrovsk, no centro do país, inaugurado apenas há duas semanas. Os 540 milhões de euros gastos serviram para fazer desta siderúrgica o símbolo do desenvolvimento económico do país mas com investimento privado.

Viktor Pinchuk, o dono de Interpipe:

“Diz-se que um homem deve plantar uma árvore, construir uma casa, e eu optei por uma fábrica. Não se tinha construído nenhuma desde a independência. Praticamente, pela primeira vez em meio século, construiu-se uma central siderúrgica na Ucrânia. Para nós, talvez seja um símbolo da modernização industrial, o símbolo da modernização do país em geral”

Com este investimento, o Interpipe vai converter-se no principal produtor de aço da Europa de Leste, com cerca de 1 milhão 320 mil toneladas por ano. Mas são a modernidade e diversidade que regem todo o projeto, nomeadamente na produção de oleodutos.

Há sempre críticos e eles garantem que esta indústria só vai avançar graças às ajudas estatais e não ao investimento privado.

Ihor Burakovskiy, analista económico:

“Há que ter em conta que infelizmente o processo da tomada de decisões na Ucrânia baseia-se num verdadeiro tipo de paternalismo e favoritismo, e neste caso particular é fácil vencer a concorrência pelo simples facto de ter a garantia do reembolso do IVA, no caso de se exportar, e os concorrentes não conseguirem.”

A crise internacional também pode danificar esta política económica, pois os preços do aço no mercado internacional cairam cerca do 16%.

Mas a maioria dos mineiros não receia o futuro:

“Não tenho medo de que a crise afete esta central, porque o Governo atual faz o possível para evitar uma crise no setor metalúrgico.”

A produção intensiva de metal na Ucrânia também é favorecida pelos preços do carvão e do gás, num país onde a exportação de aço representa cerca 40% das exportações.

A mineração é uma actividade subsidiada. Noutras regiões do país, esta dependência económica das regiões produtoras de carvão e aço não reúne muitos entusiastas, principalmente no Leste.

Um transeunte afirma:

“As empresas que não precisam de mão de obra qualificada estão concentradas ali. Com a excepção de Dnipropetrovsk e Kharkiv.”

Uma jovem ucraniana especifica:

“Na Ucrânia ocidental, os complexos agrários, a economia agrícola está mais presente. Infelizmente, os salários no setor não são muito bons.”

Depois das eleições, o Governo tem a difícil tarefa de impulsionar a economia. A indústria pesada tem ainda um papel político de coesão para o actual Governo graças a salários corretos.

Segundo o jornal ucraniano Kommersant, o Governo obriga as centrais elétricas ucranianas a comprar carvão ucraniano às minas estatais, mesmo que não precisem, para poder pagar as cotações dos mineiros.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

mundo

Fidel desmente doença