Última hora

Última hora

Câmara de vigilância registou atentado de Beirute

Em leitura:

Câmara de vigilância registou atentado de Beirute

Tamanho do texto Aa Aa

Uma câmara de vigilância registou, no interior do edifício, a explosão ocorrida na semana passada, no centro de Beirute, que matou oito pessoas e deixou 80 feridas.

É o registo do atentado que mergulhou o Líbano em mais uma profunda crise política e levou a novos confrontos.

Em Beirute, o exército está de novo nas ruas e as chefias militares apelam aos líderes políticos para manterem a calma, de forma a não aumentar as tensões.

Só esta segunda-feira, sete pessoas perderam a vida em confrontos na capital e em Tripoli, a cidade do norte, fronteiriça com a Síria.

Uma parte dos libaneses acusa a Síria de estar por detrás do atentado, no qual perdeu a vida o responsável dos serviços de segurança.

As manifestações frente à residência do primeiro-ministro têm-se repetido todos os dias exigindo a sua demissão. Najib Mikati apresentou a demissão, mas o presidente recusou-a.

O atentado serviu de rastilho da violência, num país sob alta tensão, dividido entre os que defendem o regime sírio e os que apoiam a luta dos rebeldes.