Última hora

Última hora

Manifestantes e mercados apertam o "cerco" ao governo espanhol

Em leitura:

Manifestantes e mercados apertam o "cerco" ao governo espanhol

Tamanho do texto Aa Aa

Milhares de manifestantes voltaram a tentar cercar o parlamento em Madrid, esta terça-feira, durante o debate sobre o orçamento de estado de 2013.

Um protesto, uma vez mais não autorizado, que decorreu sem incidentes face a um forte dispositivo policial.

Os manifestantes gritaram palavras de ordem contra as medidas de austeridade, apelando à dissolução do parlamento e à desobediência civil.

Na origem da revolta, está também a decisão do governo de assumir o resgate dos bancos às custas do orçamento do próximo ano e sem recurso aos fundos europeus.

Um manifestante afirma, “Os bancos alemães agem com o governo alemão da mesma forma que os bancos espanhóis agem com o governo espanhol. Este não é um conflito entre nações, mas entre ricos e pobres de diferentes países. Os pobres na Alemanha estão a ser afetados da mesma maneira que os pobres em Espanha, Grécia ou Portugal”.

No interior do parlamento, o governo apresentou um orçamento de austeridade para 2013 duramente criticado pela oposição socialista e pelos analistas, face às previsões de um agravamento da recessão económica e do desemprego.

O documento prevê 39 mil milhões de euros de economias através de cortes nos salários e nos subsídios de desemprego, assim como aumentos de impostos como o IVA.

Medidas que fazem face às dúvidas do mercado sobre a situação financeira das regiões do país, num momento em que os recursos do fundo de resgate regional se encontram quase esgotados.

A agência de notação Moody’s tinha decidido ontem baixar a classificação da dívida de 5 regiões espanholas, entre as quais a Catalunha.