Última hora

Última hora

Ucrânia dividida entre pró-Rússia e pró-Ocidente a poucos dias das eleições

Em leitura:

Ucrânia dividida entre pró-Rússia e pró-Ocidente a poucos dias das eleições

Tamanho do texto Aa Aa

A Ucrânia é um país ainda marcado pelo domínio soviético. E as eleições legislativas do próximo domingo permitem mostrar a fratura entre o Leste e o Ocidente.

O Leste, pró-russo, vota no partido da Regiões, a formação no poder, de Viktor Ianukovitch.

E a população de cidades como Donetsk continua a falar russo, e não ucraniano: “Nos últimos 20 anos, foi o partido que mais coisas fez: escolas, creches, estradas, aeroportos… tudo o que precisava de ser feito… A minha esperança continua com o Partido das Regiões”, explica um antigo mineiro, ao passo que uma senhora explica: “Estou um pouco desiludida com o Partido das Regiões… A minha reforma é pequena e não vai ser aumentada; tenho 70 anos e continuo a trabalhar… Há 50 anos que trabalho!”

Na zona ocidental do país, como em Lviv, a língua falada é o ucraniano, que Iulia Timochenko tanto defendeu. A população é maioritariamente nacionalista, pró-ocidental e contra o partido no poder.

“Espero bem que a oposição ganhe e que a vida, pouco a pouco, melhore”, diz um estudante. Embora um eletricista não esteja tão otimista: “Duvido que haja mudanças na vida política do país. Eu, pelo menos, não espero melhorias.”

Desde que Iulia Timoshenko foi detida, a oposição não tem um rosto que a encarne e os votos correm o risco de ser divididos por diferentes partidos.

Do lado, pró-russo, o Partido das Regiões e os aliados comunistas podem tirar partido desta oposição dividida.