Última hora

Última hora

Tragédia de Dubrovnik ainda não foi esquecida

Em leitura:

Tragédia de Dubrovnik ainda não foi esquecida

Tamanho do texto Aa Aa

Familiares das 130 vítimas do sequestro no teatro de Dubrovka de Moscou lembraram o trágico desfecho da operação de resgate no meio de muitas críticas contra as autoridades russas

Apesar da chuva na capital russa, centenas de moscovitas foram ao local da tragédia ocorrida entre 23 e 26 de outubro de 2002.

Após dez anos, ainda estão sem resposta muitas perguntas em particular a de como foi possível um uma operação de resgate que deixou 130 reféns mortos, intoxicados com o gás usado pelas forças especiais de segurança.

O advogado das vítimas explica:
“As pessoas não morreram nas mãos dos terroritas mas do gás lançado pelas forças russas. Apenas uma pequena parte foi vítima dos atacantes, as restantes morreram por causa da ação do governo e claro que não houve uma investigação adequada”.

Em 23 de outubro de 2002, um grupo de 40 terroristas chechenos invadiu o teatro de Dubrovka e capturou como reféns 916 pessoas, exigindo o fim da segunda guerra chechena.

O Kremlin recusou as exigências dos terroristas e deu ordem de assalto em que as forças especiais usaram um gás altamente tóxico.