Última hora

Última hora

UE de olho nas legislativas ucranianas

Em leitura:

UE de olho nas legislativas ucranianas

Tamanho do texto Aa Aa

A Ucrânia vai a votos no próximo domingo em legislativas que serão seguidas de perto pela União Europeia.

O escrutínio deverá evidenciar a clivagem entre o Leste, pró-russo, e o Oeste, pró-ocidental.

A cidade de Donetsk é a “praça-forte” do Partido das Regiões, do presidente Viktor Ianukovitch, próximo de Moscovo.

Um eleitor explica que é membro da formação do chefe de Estado, mas confessa que “gostaria de votar por alguém novo, por outro partido”, porque está “farto da situação atual”.

Outra eleitora afirma, por seu lado, que vai “votar no Partido das Regiões, porque é aquele que oferece confiança acerca do futuro”.

Para Bruxelas, o escrutínio – o primeiro desde a chegada de Ianukovitch à presidência em 2010 – será “um teste aos compromissos democráticos da Ucrânia”. Kiev está “sob o radar” da União Europeia, sobretudo desde que a ex-primeira-ministra Iulia Timochenko, grande rival do chefe de Estado, foi condenada a sete anos de prisão por abuso de poder.

As legislativas ucranianas deverão confirmar Lviv, a maior cidade do Oeste do país, como bastião da oposição.

Segundo o Comité de Eleitores da metrópole, a parte ocidental do território ucraniano favorece os partidos pró-europeus e defensores da língua ucraniana, em detrimento do russo.

Roman Koshoviy explica que “a região de Lviv apoia partidos pró-ucranianos. É uma tradição de longa data, entre os eleitores de Lviv, o apoio a candidatos nacionalistas ou patriotas mais radicais. Por isso, não será nenhuma surpresa se a maioria dos votos for para os três partidos da oposição”.

Os observadores internacionais no terreno alertaram para diferentes interpretações da nova legislação eleitoral, devido à falta de esclarecimento sobre as regras recentemente introduzidas.

A correspondente da euronews, Evgeniya Rudenko, diz que “os observadores não detetaram problemas durante a campanha, mas não excluem eventuais provocações no dia das eleições”.