Última hora

Última hora

EUA: Um presidente cessante com esperança

Em leitura:

EUA: Um presidente cessante com esperança

Tamanho do texto Aa Aa

paul mcdowell, euronews – Lembremos algumas palavras do discurso da vitória de Barack Obama em Chicago, há quatro anos, com Karen Travers, da ABC News, que acompanhou a campanha do presidente cessante.

Karen, nessa noite, Obama disse: “por termos chegado a este dia, a esta eleição, neste momento determinante que vai trazer a mudança aos Estados Unidos. Grande retórica. O discurso foi um sucesso mas qual foi a principal mudança que realizou?

Karen Travers, ABC- O presidente afirmou que com a sua chegada tinha início uma nova era de transparência e muitos dos críticos sublinham que não fez nada disso. A Casa Branca também garantiu que as promessas de campanha mais importantes iam ser postas em prática imediatamente. Repetiu o mesmo em todos os comícios, falou dos esforços de defesa dos direitos dos homossexuais e, aí sim, foi muito diferente dos outros presidentes. Claro que a lei da saúde também foi um dos grandes feitos que lembrou.

euronews – Também chamou a atenção dos americanos quando prometeu: “eu vou escutar-vos. “
Mas defendeu politicamente os americanos, no Congresso e com os opositores, a quem prometeu ouvir ou queria, apenas dizer que seria um presidente “à escuta”, atento?

KT – É isso que os eleitores também questionam… e o próprio presidente admite não ter feito tudo o que sonhava durantes estes quatro anos.
Estão sempre a questioná-lo sobre aquilo de que se arrepende e o presidente acha que falhou na comunicação, na divulgação das políticas e da obra feita, e esta é questão: ouvir mas também comprometer-se no Capitólio.

euronews – Em relação à política económica: teve um bom momento quando sairam as estatísticas do desemprego, em setembro, uma lufada de ar fresco…foi um sinal de que as políticas económicas estavam a começar a resultar?

KT – Sim, mas também porque a economia teve um crescimento natural nos últimos dois anos, as coisas melhoraram, as empresas ficaram mais aptas para contratar e para investir, mesmo com bastantes precauções, apesar de manterem as margens de lucro e recearem a tendência global da economia.
O presidente cessante vai explicar que a taxa de desemprego ficou abaixo daquilo que encontrou quando chegou à Casa Branca, mas ainda não desceu o que devia por não ter conseguido fazer aprovar o seu plano de trabalho. Ele defende que apresentou uma agenda realizável mas não conseguiu o acordo do Congresso.

euronews – Há quatro anos, um jovem e inexperiente afroamericano foi eleito 44° presidente. Foi um símbolo de esperança. Resultou?

KT- Provavelmente, vamos conhecer a resposta durante a noite eleitoral, os americanos vão mostrar se isso funcionou e esse é um dos principais desafios da campanha do presidente. O discurso em Charlotte, há umas semanas, foi acerca do otimismo para o futuro. Teve de explicar como é que as coisas iam melhorar, porque as pessoas ficaram desiludidas nestes últimos quatro anos.
Sentem que o presidente chegou com muitas promessas, muita esperança, e trazia uma agenda cheia mas teve mais dificuldade em cumprir do que se esperava.