Última hora

Uma campanha desigual

Em leitura:

Uma campanha desigual

Tamanho do texto Aa Aa

A tragédia dos Estados Unidos perturbou a campanha eleitoral.

Barack Obama reassumiu as funções presidenciais, no socorro às vítimas.

Mitt Romney ficou com o discurso limitado e sem interlocutor.

Que importância vai ter isto, no resultado das eleições?

Foi esta questão que a Euronews colocou a Patrick Griffin, do Instituto Universitário Americano:

“Este acontecimento – diz o analista – tem dado ao Presidente Obama uma plataforma natural: assumir a responsabilidade como comandante-chefe para fazer o que for preciso, e falar diretamente com as pessoas. Não há quase nada que o governador Romney possa fazer, para competir com esta oportunidade que se deparou ao Presidente Obama. Ele tem que andar numa linha estreita e, mesmo assim, tem que ter cuidado, para não parecer insensível e estridente. E eu acho que ele está a tentar fazer isso”, concluiu Patrick Griffin.

“Com apenas alguns dias até às eleições, há pouco tempo para campanhas, depois do rescaldo de Sandy. As respostas políticas às catástrofes têm tanto de instinto, como de ciência. O presidente Obama acredita que pode ultrapassar Romney, como socorrista-chefe”, diz o correspondente da euronews, Stefan Grobe.