Última hora

Última hora

Ativistas desafiam probição de protestos no Bahrein

Em leitura:

Ativistas desafiam probição de protestos no Bahrein

Tamanho do texto Aa Aa

Centenas de manifestantes regressaram, esta noite, às ruas da capital do Bahrain, um dia depois do governo ter proibido, “temporariamente”, os protestos de rua.

A marcha pacífica degenerou em confrontos com a polícia, depois das autoridades terem considerado as manifestações como o sintoma de um “problema doméstico” e um “abuso da liberdade de expressão”.

A decisão de Manama foi duramente criticada pela ONU, Washington e a organização Amnistia Internacional, num momento em que um ativista foi condenado ontem a seis meses de prisão por difamar o rei nas redes sociais.

Desde o início da revolta da maioria xiita contra a monarquia, dominada pela minoria sunita, que as autoridades rejeitam estar a lidar com uma nova revolução árabe.

O ministro do Interior negou hoje as informações avançadas pelo diário britânico The Guardian, de que o Bahrain teria contratado os serviços de um antigo assessor de Tony Blair, para tentar contrariar a vaga de revolta.