Última hora

Última hora

EUA: eleições revelam uma América mais liberal

Em leitura:

EUA: eleições revelam uma América mais liberal

Tamanho do texto Aa Aa

A corrida entre os candidatos democrata e republicano dominou as eleições norte-americanas no entanto a noite eleitoral nos Estados Unidos produziu outros resultados igualmente interessantes.

Dois estados, Maine e Maryland, foram os primeiros a aprovar o casamento homossexual através do voto popular. Estes dois estados tornam-se assim no sétimo e oitavo estados norte-americanos a aprovarem o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Um outro estado, o Wisconsin, deu mostras de uma atitude progressista ao eleger para o Senado a primeira mulher abertamente lésbica. Tammy Baldwin foi eleita pelo partido democrata.

Estas eleições produziram ainda um outro recorde. Vinte porcento do Senado é agora composto por mulheres, uma vitória para as feministas que reflecte também o sentido de voto das mulheres que acabaria por beneficiar o candidato democrata.

Igualmente pela primeira vez, o Senado conta com um novo elemento até agora ausente da política. Ted Cruz representa o Texas e é o primeiro senador de origem latina nesta instituição. Ted Cruz é republicano e foi eleito pelo Tea Party.

As eleições marcam ainda o regresso do clã Kennedy à política.

Após três anos de ausência, na sequência da morte de Ted Kennedy em 2009, Joe Kennedy III, neto de Robert Kennedy e sobrinho-neto de John Kennedy, foi eleito para a Câmara dos Representantes.

Um outro resultado interessante foi a legalização do consumo recreativo de marijuana em dois estados. Washington e Colorado são agora os dois estados onde esta substância pode ser livremente consumida. Outros estados autorizam igualmente o consumo mas apenas por razões médicas.

É a nova face de uma América à procura de um futuro mais liberal.