Última hora

Última hora

Obama vs. Jinping: De que lado estará a força?

Em leitura:

Obama vs. Jinping: De que lado estará a força?

Tamanho do texto Aa Aa

Barack Obama foi reeleito presidente dos Estados Unidos na terça-feira. Dois dias depois arrancou em Pequim o 18.° Congresso do Partido Comunista Chinês, que deverá confirmar Xi Jinping como novo presidente da segunda maior potência económica do mundo.

Obama, que vai cumprir o segundo mandato à frente da principal potência do planeta, já conhece o quase certo futuro presidente chinês. O chefe da Casa Branca recebeu o então vice-presidente chinês Xi Jinping em fevereiro deste ano. Curiosamente, foi no dia de São Valentim.

O encontro permitiu a Obama conhecer um pouco daquele que a partir de março deverá estar ao leme da China, país que não pára de crescer em termos económicos. Acima de tudo porque passou a apostar no estrangeiro. O investimento em Portugal, através da EDP, é um bom exemplo da aposta de Pequim além-fronteiras.

Os Estados Unidos mostram-se preocupados com as crescentes importações chinesas, mas sobretudo com o valor baixo do Yuan e com a suspeita de abuso pela China dos direitos humanos dos trabalhadores.

A somar às questões económicas e laborais, outros problemas ameaçam a futura cooperação entre Obama e Jinping. A disputa entre a China e o Japão pelo arquipélago Senkaku poderá, por exemplo, ameaça colocar os Estados Unidos ao lado dos nipónicos numa eventual guerra contra a China.

Depois existe ainda o conflito da Síria, o programa nuclear do Irão, o aproveitamento da crise europeia e as parcerias norte-americanas com alguns governos periféricos da China, sendo Taiwan um dos melhores exemplos.

Obama e Jinping têm novo encontro previsto para 2013. A expectativa é saber se será tão amigável como o de há nove meses.