Última hora

Última hora

Paquistão homenageou Malala Yousafzai

Em leitura:

Paquistão homenageou Malala Yousafzai

Tamanho do texto Aa Aa

O Paquistão assinalou ontem o “dia de Malala” em honra da jovem Malala Yusafzai, defensora do ensino para as mulheres, que sobreviveu, há um mês, a um atentado realizado pelos talibãs paquistaneses.

A jovem ativista de 15 anos ficou conhecida em 2009 ao denunciar num blogue publicado pela BBC as ações dos talibãs na região de Swat, onde vivia.

“Dias antes de Malala ser atacada pintaram marcas vermelhas no nosso portão. O meu pai apagou as marcas duas ou três vezes. Depois da terceira vez, recebeu um telefonema a perguntar se Hina Khan era filha dele, ao que respondeu sim. Então eles disseram que não poupariam nenhum de nós porque porque Hina Khan defendia a educação”, disse Hina Khan.

Tal como outras jovens defensoras do direito das mulheres à educação, Hina e a família tiveram de fugir de Swat.

Malala Yousafzai foi transferida do Paquistão para a unidade de cuidados intensivos do hospital Queen Elizabeth em Birmingham, especializado no tratamento de soldados feridos no Afeganistão.

Segundo a ONU no Paquistão existem 5,1 milhões de crianças não vão à escola, das quais 63 por cento são raparigas.