Última hora

Última hora

Grécia tem mais tempo, mas o dinheiro continua bloqueado

Em leitura:

Grécia tem mais tempo, mas o dinheiro continua bloqueado

Tamanho do texto Aa Aa

A Grécia vai ter de esperar. Os ministros das Finanças da zona euro aceitaram dar mais dois anos a Atenas para cumprir o plano de redução da despesa pública, mas a próxima tranche de ajuda financeira não vai ser desbloqueada para já.

Perante o relatório de avaliação das contas gregas, preparado pelo Fundo Monetário Internacional e pelo Banco Central Europeu, tendo em conta o orçamento aprovado para 2013, o eurogrupo decidiu que é preciso mais tempo para fazer um balanço.

Jean-Claude Juncker apontou que só no próximo encontro ministerial, no dia 20 de novembro, é que estarão apurados “os elementos necessários para que os Estados-membros possam aprovar o desembolso seguinte”, assim a troika avalie positivamente o trabalho do governo grego.

Estão em causa mais de 31 mil milhões de euros congelados desde junho passado. Uma das questões que está a gerar divisões é a da dívida pública do país. Juncker afirma não ser realista baixá-la de 190 por cento do PIB para 120 antes de 2022. Mas Christine Lagarde continua irredutível. Para a diretora do FMI, as metas mantêm-se, ou seja, “a sustentabilidade da dívida grega, com o objetivo dos 120 por cento, tem de ser definida para 2020.”

Para já, apenas as datas mais próximas se deslocaram: 2016 é agora o ano apontado para a estabilização financeira de Atenas.