Última hora

Última hora

Austeridade e crise: O círculo vicioso na Europa

Em leitura:

Austeridade e crise: O círculo vicioso na Europa

Tamanho do texto Aa Aa

A crise na zona euro está longe do fim. A austeridade e a crise da dívida arrastaram a zona euro para a recessão. Uma deterioração da economia que pesa sobre os défices, obrigando os governos a implementar mais austeridade.

O círculo vicioso alastrou e atinge mesmo as grandes economias, como a Alemanha, obrigando a rever em baixa as previsões económicas.

A Comissão Europeia espera para 2012 uma contração de 0,4%. E um crescimento de 0,1% no próximo ano, contra 1% esperado anteriormente.

E sem crescimento não há emprego. Na zona euro a taxa atinge níveis recorde e em 2013 espera-se que chegue aos 11,8%.

Em Portugal, a situação é ainda pior.

No terceiro trimestre, o desemprego subiu para 15,8% e 39% entre os jovens. Já a economia contraiu pelo sétimo trimestre consecutivo. Afundou-se na recessão, com um declínio de 3,4% do PIB em termos anuais.

Números que não surpreenderam o primeiro-ministro Pedro Passos Coelho: “Dentro das más notícias, aquilo que os portugueses precisam saber é que elas estão de acordo com aquilo que estávamos à espera. O mesmo se pode dizer do nível de desemprego. Sabemos que iremos ainda ver aumentar um pouco mais o nível de desemprego antes de poder ver o seu declínio, o que acontecerá de uma forma sustentada com o crescimento da economia também de forma sustentada, a partir de 2014”.

Tal como Portugal, a Grécia prepara-se também para mais um ano difícil e de austeridade.

A economia helénica vai no sexto ano de recessão. No terceiro trimestre afundou mais 7,2% em termos anuais, enquanto um em cada quatro gregos estão sem trabalho, pesando sobre as já deficitárias contas públicas.