Última hora

Última hora

Médio Oriente: Rockets palestinianos em Jerusalém, Israel prepara ofensiva terrestre

Em leitura:

Médio Oriente: Rockets palestinianos em Jerusalém, Israel prepara ofensiva terrestre

Tamanho do texto Aa Aa

Um rocket palestiniano foi disparado contra Jerusalém, esta sexta-feira, o que não acontecia há décadas. O projétil não chegou há Cidade Santa. Já Telavive voltou a ser atingida, pelo segundo dia consecutivo. Israel respondeu aos ataques palestinianos e a trégua prometida durante a visita do primeiro-ministro egípcio à Faixa de Gaza não foi cumprida. Em Gaza, Hessam Qandil assegurou que “a revolução egípcia vai envidar todos os esforços e sacrifícios para parar esta agressão e concluir uma trégua e perpetuá-la até que seja alcançada uma paz justa e seja estabelecido um estado palestiniano com capital em Jerusalém.”
Desde o início da operação Pilar de Defesa, na quarta-feira, Israel efetuou meio milhar de raides aéreos e os palestinianos dispararam mais de 280 rockets. Em Israel morreram três pessoas, enquanto na Faixa de Gaza há a registar 23 mortos e 230 feridos.

O primeiro-ministro israelita mostrou-se satisfeito “pela maioria dos governos do mundo não cair na falsa simetria de ponderar os agressores terroristas e as suas vítimas civis” – Benjamin Netanyahu assegurou que Israel vai manter “a prudência e autocontenção ao mesmo tempo que defende os seus cidadãos do terrorismo.”

O Estado hebreu bloqueou a principais estradas em redor da Faixa de Gaza. O governo autorizou, ontem, a mobilização de um contingente de reservistas que pode ir até aos 30 mil soldados, mas o ministro da Defesa, Ehud Barak está tentar aumentar este número para 75 mil. Sinais de que uma ofensiva terrestre está iminente.