Última hora

Última hora

Orçamento comunitário divide Europa

Em leitura:

Orçamento comunitário divide Europa

Tamanho do texto Aa Aa

Muito divididos, os chefes de Estado e de governo da União Europeia encontram-se esta semana em Bruxelas para debater orçamento comunitário plurianual e, ao que tudo indica, dificilmente haverá um acordo.

A Comissão Europeia aumentou o valor do anterior orçamento e apresentou uma proposta de 1060 mil milhões de euros, para 2014-2020
O Conselho Europeu, depois de pressionado por vários países, baixou para 985 mil milhões.
Mas o Primeiro-ministro britânico exige um orçamento que não vá além dos 886 mil milhões de euros.

Fabian Zuleeg, economista do European Policy Centre, explica que “o presidente da Comissão está a tentar aproximar-se das exigências feitas pela Alemanha, Suécia, Holanda e Finlândia. Mas alguns países estão a pedir mais cortes. Por isso não acredito que vá haver acordo sobre esta proposta.”

O Primeiro-ministro britânico defende que é inaceitável aumentar a despesa na Europa enquanto vários países europeus estão a ser forçados avançar com medidas de austeridade.

Fabian Zuleeg considera que “os britânicos sabem que estão a pedir cortes enormes. Mas se não forem aceites, será impossível obter um compromisso no parlamento britânico. Do ponto de vista político, o melhor para o Reino Unido é que não se chegue a acordo.” David Cameron anunciou mesmo que pode vetar o orçamento e, nesse caso, o documento teria de ser submetido a votos todos os anos, sendo apenas necessária uma maioria qualificada e não a unanimidade.