Última hora

Última hora

Um Zombie em Salem

Em leitura:

Um Zombie em Salem

Tamanho do texto Aa Aa

É de terror, e é um filme escrito e realizado por Rob Zombie, ele próprio uma figura indissociável do género, tendo assinado dois capítulos da saga Halloween, entre outros. Desta vez, o nome é “The Lords of Salem”, cuja estória se reporta, precisamente, à localidade em Massachussets para sempre associada aos processos de bruxaria que decorreram durante o período de colonização dos Estados Unidos. No Festival Internacional de Toronto, a receção foi globalmente positiva.

Para o realizador, foi um processo de inovação: “é demasiado fácil aprender uma data de truques que se podem repetir sempre, em piloto automático. Neste filme, fomos exatamente contra aquilo que faríamos em circunstâncias habituais. Normalmente, filmaria com a câmara à mão, em película… Há uma tendência para tornar tudo padronizado, para satisfazer os fãs mas, às vezes, é o contrário. Por isso, estilisticamente, fomos na direção oposta, para tentar fazer um filme completamente diferente.”

O primeiro filme de Zombie surgiu em 2000 e foi censurado pela distribuidora durante três anos, por o considerar demasiado gore. Antes, estava um percurso musical que começou nos anos 80, no grupo White Zombie. Nove álbuns mais tarde, a convivência entre imagens e sons continua. “O cinema e a música são inseparáveis. A música é extremamente importante em qualquer filme, ela surge sempre nos meus projetos numa fase embrionária, sei o que vou utilizar antes de passar às filmagens. Por vezes, serve mesmo de inspiração na escrita do argumento. Por isso, é impossível distinguir o que se vê ou o que se ouve”, considera Rob Zombie.

Enquanto prepara o sucessor de “The Lords of Salem”, Zombie decidiu embarcar numa digressão com Marylin Manson, pelos Estados Unidos e pela Europa, chamada “Twins of Evil”.