Última hora

Última hora

Consumo americano em Dia de Ação de Graças

Em leitura:

Consumo americano em Dia de Ação de Graças

Tamanho do texto Aa Aa

É difícil encontrar um perú com sorte no Dia de Ação de Graças. Mas o perú branco do jardim da residência oficial de Obama tem a reforma assegurada na Virgínia.
Na Casa Branca, o Thanksgiving começa na manhã da quarta-feira com o tradicional “perdão do peru”, em que Obama indulta a um peru, que não estará na ementa do Thanksgiving, e que vai passar o resto de seus dias feliz em Mount Vernon

Apesar dos tempos difíceis, as famílias norte-americanas não querem renunciar ao jantar tradicional. O preço de um peru de sete quilos passou de 18 para 22 dólares em cerca de dois anos, conforme os dados da Federação de Criadores de Estados Unidos, que cita o aumento da procura como principal causa dessa subida.

Comerciante:

“Estamos atarefados. cada ano há cada vez mais trabalho e cada vez mais clientes”

Como os norte-americanos não querem renunciar aos perúss no Dia de Ação de Graças, é mais do que provável que tenham de apertar o cinto na temporada natalícia.

Os analistas calculam que as vendas de Natal cresçam apenas 3,5 por cento este ano (abaixo dos 3,7% de 2011 e 3,8% em 2010), as vendas abrandam nesta época. Os comerciantes responderam com o avanço dos saldos da “sexta-feira negra” para hoje à noite. Alguns oferecem negócios fabulosos durante toda a semana, o que os clientes apreciam.

Um fã de produtos informáticos:

“As peças mais caras devem ser compradas antes da sexta-feira negra, para poupar.”.

Uma outra cliente:

“Não sei se vou às compras na sexta. Vai ser uma confusão e eu não gosto de stress”.

Alguns centros comerciais abrem as portas às 8 da manhã no Dia de Ação de Graças – na última quinta-feira do mês de novembro. Uma sondagem recente mostra que 23% dos consumidores fazem compras neste dia, ou seja, cerca 17% mais do que no ano passado.

Stefan Grobe euronews:

“A confiança dos consumidores atingiu o ponto mais alto em cinco anos devido à leve melhoria no mercado laboral. Mas à medida que se aproxima a época natalícia, os norte-americanos coibem-se de gastar com receio de que não se chegue a acordo, antes do fim do ano, para evitar o precipício fiscal. “