Última hora

Última hora

Bundesrat rejeita acordo fiscal com a Suíça

Em leitura:

Bundesrat rejeita acordo fiscal com a Suíça

Tamanho do texto Aa Aa

O governo alemão sofreu um revês na câmara alta do parlamento. O Bundesrat rejeitou o acordo fiscal assinado com a Suíça, que a oposição, que domina o hemiciclo, considera favorável a quem foge ao fisco.

De nada valeu a intervenção do ministro alemão das Finanças, que estima que o acordo iria permitir recuperar dez mil milhões de euros. Antes da votação Wolfgang Schauble afirmou: “É por isso que vos digo: não encontrarão melhor solução para o passado, porque não podem garantir que a Suíça levante o segredo bancário com efeitos retroativos”.

O governo alemão pode recorrer agora a uma comissão de conciliação entre as duas câmaras do parlamento, mas as hipóteses de um acordo são mínimas.

A Suíça diz-se desiludida, mas o embaixador helvético na Alemanha, Tim Guldiman, acrescenta: “A Suíça mantém-se fiel à sua posição que é a de tributar apenas ativos gerados na Suíça e, por outro lado, estaremos em contacto com os nossos vizinhos para resolver problemas que possam existir”.

Denominado “Rubik”, o acordo prevê que os países recuperem impostos sobre os bens depositados na Suíça, mas a Confederação salva o famoso segredo bancário.

No ano passado, os bancos suíços geriram mais de quatro biliões de euros e mais de metade era de clientes estrangeiros.