Última hora

Última hora

Cimeira da UE: Eurodeputados criticam posições de bloqueio

Em leitura:

Cimeira da UE: Eurodeputados criticam posições de bloqueio

Tamanho do texto Aa Aa

Além da habitual negociação com todos os chefes de Estado e de Governo na mesma sala, esta cimeira da União Europeia tem sido marcada por muitos encontros bilaterais, tanto quinta como sexta-feira. Apesar de já haver uma segunda proposta para o orçamento de 2014-2020, o consenso está distante.

“É uma cimeira ridícula, uma discussão ridícula entre os Estados membros, porque afinal de contas do que é que se trata? Trata-se de um orçamento europeu de cerca de 140 mil milhões de euros por ano. A soma dos orçamentos dos estados-membros da UE é de 6,3 biliões de euros, ou seja, 50 vezes mais. Portanto, não é uma discussão muito séria”, referiu Guy Verhosftad, líder dos eurodeputados democratas e liberais.

A intransigência do primeiro-ministro britânico incomoda vários europeístas convictos, tais como Hannes Swoboda, líder dos eurodeputados socialistas.

“Cameron, por um lado, está novamente a bloquear o desenvolvimento progressivo da UE. Por outro lado, talvez leve a Grã-Bretanha a sair da UE, mas quer determinar o seu futuro. É uma loucura”, exclama Swoboda.

A correspondente da euronews em Bruxelas, Margherita Sforza, realça que “se as diferenças permanecerem tão profundas, a discussão será adiada para o início do próximo ano. O Governo e a opinião pública terão, assim, tempo a digerir os novos sacrifícios pedidos pela Europa. Alguns países terão de pagar mais para o orçamento e o outros vão receber menos fundos”.