Última hora

Última hora

Kinshasa recusa falar com rebeldes

Em leitura:

Kinshasa recusa falar com rebeldes

Tamanho do texto Aa Aa

Depois de terem tomado Goma, a capital da província do Kivu norte, no Congo, o grupo rebelde M23 tem como objetivo chegar a conversações com o Governo.

O Presidente, Joseph Kabila, recusou até agora reconhecê-lo como interlocutor e recusa o diálogo.

O grupo rebelde tomou o nome da data do acordo de paz de 23 de março de 2009 assinado com Kinshasa que previa a inclusão dos rebeldes no exército da República Democrática do Congo promessa não cumprida.

“Assistimos a uma passividade por parte do governo porque o exército já devia ter sido reformado há muito tempo, agora sentimo-nos tão ameaçados como antes. Deviam ter restruturado o exército ante do ataque”.

“Mesmo aqui em Kinskasa as pessoas apoiam o M23 . Os congoleses não estão unidos”.

Os líderes da oposição atribuem ao governo a responsabilidade pelo caos.

O atual grupo nasceu de um motim no exército congolês e avançou sobre Goma para obrigar o Governo a negociar e aceitar os termos das suas exigências.