Última hora

Última hora

Mohamed Morsi: De salvador a ditador do Egito

Em leitura:

Mohamed Morsi: De salvador a ditador do Egito

Tamanho do texto Aa Aa

A revolta contra o presidente do Egito não para de subir de tom desde que Mohamed Morsi se outorgou plenos poderes na quinta-feira.

O Cairo voltou a ser palco de confrontos e o país volta a unir-se, desta vez contra o poder absoluto dos islamitas.

O clube dos juízes, que representa magistrados de todo o país, convocou uma greve, numa reunião interrompida por cânticos de “abaixo o regime”.

Morsi emitiu um decreto que o coloca, a si e à Assembleia Constituinte, a salvo de qualquer processo judicial até à entrada em vigor da nova Constituição.

Depois de comparar Morsi a um novo “faraó”, Mohamed ElBaradei subiu o tom das acusações afirmando que “não há espaço para o diálogo quando um ditador impõe as medidas mais opressivas e abomináveis e depois diz ‘vamos discutir as divergências”. ElBaradei está pronto para o diálogo mas só depois do presidente “revogar” o decreto.

O antigo chefe da Agência Internacional de Energia Atómica, que esteve reunido com outros líderes da oposição, aguarda também tomadas de posição mais vigorosas por parte dos Estados Unidos e da União Europeia

A primavera árabe no Egito transformou-se num outono escaldante, pouco mais de um ano após a queda de Hosni Mubarak.