Última hora

Última hora

Exército da RDC ameaça contra-atacar rebeldes do 23M em Goma

Em leitura:

Exército da RDC ameaça contra-atacar rebeldes do 23M em Goma

Tamanho do texto Aa Aa

O exército da Républica Democrática do Congo deu 24 horas aos rebeldes do grupo 23 de Março para que abandonem a cidade de Goma, ocupada desde dia 20.

O aviso surge depois de expirar o ultimato de 48 horas da União Africana que ameaça enviar uma força internacional para o território, que se tornou no palco do braço de ferro entre os rebeldes e o governo de Kinshassa.

O chefe do exército congolês afirma:

“Nós estamos a ser atacados e precisamos de responder a estes ataques. O Congo não está preocupado, é o exército que está preocupado com estes traidores”.

Segundo testemunhas, os rebeldes continuam a reforçar as suas posições em Goma, na província do Kivu do norte.

O chefe da guerrilha viajou esta segunda-feira ao Uganda para tentar discutir as condições de uma eventual retirada do território.

Numa entrevista à revista “Jeune Afrique”, Sultani Makenga, apresenta-se como o defensor dos rwandeses refugiados no território e acusa o presidente congolês de tentar levar a cabo um novo genocídio na região.

Makenga afirma-se disposto a retirar e a reincorporar os revoltosos no exército congolês se Kinshassa estiver disposta a conceder mais autonomia ao território do Kivu do Norte.

A tensão entre os dois campos ameaça reabrir as feridas do conflito do Ruanda, com uma nova vaga de refugiados.