Última hora

Última hora

UMP: A direita francesa à beira da ruptura

Em leitura:

UMP: A direita francesa à beira da ruptura

Tamanho do texto Aa Aa

A oposição de direita em França encontra-se mais dividida que nunca, apesar da decisão da comissão eleitoral do partido UMP de validar a reeleição de Jean-François Copé.

A comissão de recurso do partido confirmou a vitória do ex-presidente da formação, nas eleições de 18 de novembro para a liderança do UMP, rejeitando as queixas do rival François Fillon.

Uma decisão saudada por Copé:

“A comissão nacional de recurso do partido confirmou a minha eleição e constatou mesmo uma vantagem maior a meu favor. O resultado está à vista e cada um tem agora que respeitar a votação e o estatuto da nossa família política”.

O antigo primeiro-ministro François Fillon, que reclamava igualmente a vitória, denunciando fraudes no escrutínio, considerou já a decisão ilegal.

Fillon poderá agora avançar para os tribunais ou pedir uma nova votação, num momento em que a fratura no partido, se anuncia como irreversível após a saída do poder de Nicolas Sarkozy.

Vários apoiantes de Fillon ameaçaram já abandonar a bancada do UMP no parlamento. Alguns militantes apostam já num regresso do ex-chefe de estado como “reconciliador” da formação.