Última hora

Última hora

Dúvidas sobre morte de Arafat orignam processo de investigação

Em leitura:

Dúvidas sobre morte de Arafat orignam processo de investigação

Tamanho do texto Aa Aa

No dia 29 de outubro de 2004. Yaser Arafat viajou de helicóptero, da sua base em Ramallah, a Mukata, até à Jordânia.

Um avião medicalizado esperava o “Pai dos palestinianos”, gravemente doente, para o transportar para França. Israel autorizou a viagem e o regresso de Arafat para Ramalah.

O paciente palestiniano ficou internado no hospital militar de Percy, nos arredores de Paris. Os médicos franceses não conseguiram debelar a misteriosa doença. O estado de saúde de Arafat deteriorou-se.

No dia 11 de novembro de 2004, o líder histórico da OLP morreu, aos 75 anos de idade.

Os palestinianos choraram-no, em luto. O funeral foi feito em ramallah. Israel não autorizou que fosse em Jerusalém, como desejava Arafat.

Os rumores de envenenamento circulavam desde então, mas foram oficializados no passado mês de julho. O Instituto de Radiofísica de Lausane afirmou ter descoberto uma quantidade anormal de polónio, elemento radioativo, nos objetos pessoais do líder palestiniano. Mas estes terão sido fornecidos pela mulher apenas há umas semanas.

O dedo é agora apontado a Israel por Tawfik Tirawi, presidente da comissão de ínquérito palestiniano sobre a morte de Arafat.

‘‘Todos sabem que Israel está por tras da morte de Arafat”.

Israel nega. Em agosto passado, o porta-voz do governo israelita respondia assim à pergunta de euronews sobre essa acusação:

‘‘Simplesmente não é verdade. E não acho que haja muita gente que leve estas acusações a sério. Quero recordar aos palestinianos, que todos os documentos sobre o estado de saúde de Arafat estão na posse deles, nas mãos da família ou nas da Autoridade Palestiniana. Por isso, em vez de alimentar as teorias da conspiração, porque não publicam tudo? Acabavam de vez com as dúvidas.”

Os resultados das análises só vêm a público daqui a três meses. Depois de oito anos, as possibilidades de detetar a presença da substância radiativa no corpo de Arafat não são muitas, mas existem segundo os cientistas.