Última hora

Última hora

UMP: uma luz ao fundo do túnel para a crise

Em leitura:

UMP: uma luz ao fundo do túnel para a crise

Tamanho do texto Aa Aa

Copé e Fillon aceitam um referendo sobre a repetição ou não das eleições no UMP.
Sinais de apaziguamento, em Paris, logo após a intervenção do antigo chefe de Estado e também ex-presidente do Partido.

Nicolas Sarkozy, que no início desta crise partidária dissera não querer intervir assume agora o papel de medidador.

Esta terça-feira reuniu-se Jean-François Copé e François Fillon depois do ex-primeiro-ministro Alain Juppé ter desistido de procurar uma solução.

“ Eu propus a François Fillon para darmos a palavra aos militantes do UMP para que se pronunciem num referendo para sabermos se querem ir de novo às urnas ou não”.

Ontem François Fillon anunciou que os seus apoiantes vão criar um grupo separado no parlamento, exigindo novas eleições internas dentro de três meses.

Acusando o seu rival de ter realizado fraude eleitoral, Fillon disse não querer “que a chama da verdade seja apagada na UMP.