Última hora

Última hora

Ministros da agricultura discutem resposta a possíveis cortes na PAC

Em leitura:

Ministros da agricultura discutem resposta a possíveis cortes na PAC

Tamanho do texto Aa Aa

Os ministros da agricultura europeus discutiram, esta quarta-feira, em Bruxelas, os previsíveis cortes nos subsídios para a Política Agrícola Comum (PAC) entre 2014-2020.

Apesar da cimeira da semana passada ter falhado um acordo sobre o orçamento global, a verba proposta para este setor inquieta vários países.

“Estou otimista porque temos fortes parcerias com países decisivos em matéria de agricultura, como a França; bem como com a Irlanda, que terá a presidência da UE no próximo semestre. Além disso, queremos alargar a base de apoio e temos um importante aliado que é o Parlamento Europeu, porque este também exige que a PAC tenha suficientes dotações financeiras, caso contrário não se justifica fazer uma reforma”, disse o ministro espanhol, Miguel Arias Cañete.

Pequenos produtores como a austríaca Irmi Salzer, que detém 3 hectares de terra, defendem sobretudo regras mais justas na distribuição das verbas.

“Como sabemos, cerca de 80% dos subsídios são canalizados para os 20% de agricultores mais poderosos e isso não é justo. Os pequenos agricultores produzem uma grande quantidade de alimentos e são fundamentais para manter habitadas as comunidades rurais. Logo, é importante ter uma distribuição equilibrada. Mesmo com menos dinheiro no orçamento, nos também podemos contribuir para uma boa agricultura”, explicou a agricultora.

De acordo com a Via Campesina (lobby dos pequenos agricultores), a UE perdeu 20% da mão-de-obra agrícola desde 2004.

A par de revisão do orçamento, defendem a criação de um modelo mais sustentável e menos industrializado para o futuro do setor na Europa.