Última hora

Última hora

Estatuto da Palestina votado hoje nas Nações Unidas

Em leitura:

Estatuto da Palestina votado hoje nas Nações Unidas

Tamanho do texto Aa Aa

Dia D para a Palestina, que espera passar hoje de “entidade observadora” para “Estado observador não-membro das Nações Unidas”.

O presidente da Autoridade Palestiniana está em Nova Iorque para formalizar o pedido na Assembleia Geral da ONU. Os Estados Unidos, principal aliado de Israel, tentam até ao último momento convencer Mahmud Abbas a reconsiderar, avisando mesmo de possíveis consequências no apoio económico norte-americano.

A secretária de Estado, Hillary Clinton, defendeu que “o caminho para uma solução de dois Estados que cumpra as aspirações do povo palestiniano deverá ser feito através de Jerusalém e Ramallah e não Nova Iorque”.

Apesar da Alemanha se alinhar com os Estados Unidos e das reticências da Grã-Bretanha, pelo menos 13 países europeus – entre os quais a França, a Espanha e Portugal – já disseram que vão validar o pedido palestiniano que conta, efetivamente, com o apoio de uma confortável maioria dos países membros da ONU.

A negociadora palestiniana, Hanan Ashrawi, diz que “os Estados Unidos têm tentado desesperadamente impedir, atrasar e ameaçar [os palestinianos], mas agora percebem que vai acontecer e que não podem impedi-lo, não têm o direito de veto”.

A conquista do estatuto de “Estado observador não-membro da ONU” traduz-se num reconhecimento implícito da soberania da Palestina e permite, nomeadamente, o acesso ao Tribunal Penal Internacional e a outros organismos internacionais.