Última hora

Última hora

Inquérito Leveson denuncia promiscuidade entre políticos e jornalistas

Em leitura:

Inquérito Leveson denuncia promiscuidade entre políticos e jornalistas

Tamanho do texto Aa Aa

O escândalo das escutas ilegais do tablóide “News of The World” termina numa longa reflexão sobre a necessidade de reforçar a regulação da imprensa britânica.

O juíz Leveson apresentou em Londres os resultados de duas semanas de inquérito. Duas mil páginas de um relatório onde recomenda a criação de uma nova autoridade de regulação dos media e critica a promiscuidade entre políticos, polícias e jornalistas.

“Este caso prejudicou o interesse público, causou dificuldades reais e perturbou as vidas de pessoas inocentes”, afirmou Leveson.

O relatório afasta as suspeitas em torno da relação de David Cameron com os dois ex-editores do tablóide – Andy Coulson e Rebekah Brooks -ambos acusados de suborno de polícias em troca de informações.

Frente ao parlamento, o primeiro-ministro afirmou-se contra a criação de um novo órgão de regulação dos media:

“Seria a primeira vez que passaríamos o limite de incluir elementos sobre a regulação da imprensa na nossa legislação. Penso que deveríamos desconfiar de qualquer lei que possa infringir a liberdade de expressão e a liberdade de imprensa”.

O inquérito Leveson denuncia ainda os “métodos repreensíves” do antigo jornal de Rupert Murdoch, ao recorrer a escutas ilegais. O magnata dos media optou por não reagir às conclusões depois de ter afirmado, durante o inquérito, desconhecer e repudiar os métodos do tablóide.