Última hora

Última hora

Itália de olhos postos nos mercados

Em leitura:

Itália de olhos postos nos mercados

Tamanho do texto Aa Aa

A Itália aguarda com expectativa a reação dos mercados à demissão anunciada de Mario Monti.

O chefe de governo transalpino vai manter-se em funções até à aprovação da Lei de Estabilidade Orçamental.

A decisão do primeiro-ministro foi tomada depois dos deputados do PDL, Partido Povo da Liberdade, se terem abstido na votação de vários projetos de lei na última semana.

Monti apelou, entretanto, à responsabilidade da formação fundada por Silvio Berlusconi.

Angelino Alfano do PDL já reagiu:

“Continuamos a expressar o nosso apreço por Monti. Transmitimos o desconforto causado aos italianos pelas políticas económicas e não aceitamos acusações de irresponsabilidade porque vamos aprovar a Lei de Estabilidade Orçamental.”

Para a decisão do primeiro-ministro italiano terá também contribuído o regresso anunciado de Silvio Berlusconi à arena política.

A população está dividida:

“Monti paralisou a economia e as famílias estão em crise. Precisamos de uma renovação política, mas os problemas vão passar para o sucessor do primeiro-ministro” afirma um italiano.

Outro adianta: “Berlusconi só pode prejudicar a Itália. Custa ver que aceitamos determinadas situações e que há pessoas que, ainda, acreditam nele. É inacreditável, mas há quem pense que os contos de fada existem.”

Berlusconi já fez saber que pretende apresentar-se na corrida às legislativas em 2013. Poucos acreditam que possa vencer o escrutínio, mas é certo que o antigo primeiro-ministro está habituado a surpreender.