Última hora

Última hora

Roménia à beira de nova crise política

Em leitura:

Roménia à beira de nova crise política

Tamanho do texto Aa Aa

Na Roménia, o governo de centro-esquerda deve vencer as eleições legislativas deste domingo com uma maioria confortável. Previsões que ameaçam, no entanto, desencadear uma nova crise política. Isto porque o chefe de Estado admite não vir a nomear o primeiro-ministro caso a coligação de Victor Ponta vença o escrutínio.

Os eleitores mostram-se, ainda assim, otimistas:

“Espero uma mudança para melhor, sobretudo, para os nossos filhos. Gostava que tivessem uma vida mais fácil. E é, por isso, que estou aqui desde muito cedo” afirma uma mulher.

Outra, acrescenta: “gostava de ter um país estável onde as pessoas tivessem emprego. Falo especialmente dos mais jovens que não têm o que comer nem para onde ir. Sinceramente não sei o que esperar.”

As últimas sondagens indicam que a União Social-Liberal, a coligação de centro-esquerda que engloba os sociais-democratas, os liberais e o partido conservador deve conseguir entre 48% e 62% de votos. Já a Aliança Romena de Direita que integra o partido do chefe de Estado não deve recolher mais 23 por cento das intenções de voto.

Na terceira posição surge o Partido Popular, uma formação liderada pelo milionário Dan Dionescu. Um empresário que durante a campanha eleitoral, prometeu aumentar o salário mínimo para os 1.000 euros.

A julgar pelas sondagens o salário mínimo na Roménia vai manter-se nos atuais 130 euros.
Caso não sejam colocados obstáculos o novo governo deve tomar posse até 21 de dezembro.