Última hora

Última hora

Exército egípcio volta a ter o poder de deter civis

Em leitura:

Exército egípcio volta a ter o poder de deter civis

Tamanho do texto Aa Aa

Perto do palácio presidencial, a oposição egípcia continua a exigir o adiamento do referendo sobre a nova constituição, agendado para dia 15.

Tanto mais que, esta segunda-feira, o presidente Mohamed Mursi deu luz verde, ao exército, para garantir a segurança do país, até à publicação dos resultados do referendo, incluindo, a detenção de civis. Os militares retomam, assim, poderes que tinham, na altura em que dirigiam o país, isto é, entre o momento da queda de Hosni Mubarak, em fevereiro de 2011, e a eleição de Mursi, em junho de 2012.

Mursi deu, contudo, um passo atrás e anulou o polémico decreto que o colocava fora do alcance da Justiça. Uma medida que não convence a oposição, como se depreende das palavras de um manifestante: “O novo decreto constitucional anula o antigo mas, ao mesmo tempo, contém as mesmas prerrogativas do anterior. O presidente tem estado a brincar connosco e a tentar ganhar tempo até ao referendo!”

Segundo a oposição, o projeto de Constituição de Mursi promove uma forte islamização das leis e carece de garantias para as liberdades civis.

Durante a semana passada, os confrontos entre os opositores e os defensores do presidente fizeram vários mortos e centenas de feridos.