Última hora

Última hora

Manifestações anti-União Europeia antecedem entrega do Nobel da Paz

Em leitura:

Manifestações anti-União Europeia antecedem entrega do Nobel da Paz

Tamanho do texto Aa Aa

É envolto num clima de polémica que o trio dirigente da União Europeia chegou à Noruega para a cerimónia de entrega do Prémio Nobel da Paz.

“Viemos a Oslo celebrar um acontecimento importante – a transformação da Europa de um continente de guerra num continente de paz – que ocorreu num momento que foi crucial. Cinco anos apenas após o final da Segunda Guerra Mundial, dois países rivais decidiram mudar o rumo da História e passar de inimigos a parceiros”, afirmou Herman Van Rompuy. O presidente do Conselho aceitará o prémio, juntamente com o presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, e o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso.

A atribuição do galardão da Paz à União Europeia não é consensual e, ontem à noite, centenas de pessoas saíram à rua para criticá-la.

Na capital norueguesa falam da União Europeia como de algo impessoal a que chamam “eles”. “Eles vendem armas, não são democráticos e estão a tratar mal o povo grego. É um desastre”, exprime-se um manifestante. Uma jovem reitera: “Estou completamente contra a forma como eles estão a lidar com a crise financeira. Não consigo aceitá-la e estou muito, muito furiosa por terem ganho o Nobel da Paz. É como uma bofetada na cara de todos os que estão a sofrer, na Grécia.”

Apesar da contestação, a União Europeia receberá o galardão esta segunda-feira, por volta das 12 horas, hora de Lisboa.