Última hora

Última hora

União Europeia recebe Nobel da Paz

Em leitura:

União Europeia recebe Nobel da Paz

Tamanho do texto Aa Aa

A União Europeia (UE) recebeu esta segunda-feira o Prémio Nobel da Paz. O presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, e o presidente do Parlamento Europeu, Martin Schultz, representaram os 27 na cerimónia de Oslo. O Comité Nobel decidiu atribuir o Prémio à União Europeia porque contribuiu, “durante as últimas seis décadas, a promover a paz e a reconciliação, a democracia e os direitos do Homem na Europa”.

O presidente do Comité Nobel, Thorbjoern Jagland, recordou as palavras de um dos fundadores da UE:

“Jean Monet disse que nada pode ser concretizado sem seres humanos mas nada se torna permanente sem instituições. A UE tem sido uma força condutora central através destes processos de reconciliação. A UE tem, de facto, ajudado a construir a fraternidade entre as nações e a promover a paz, como Alfred Nobel deixou escrito no seu testamento.”

Além dos três representantes da UE, deslocaram-se à capital norueguesa vários chefes de Estado e de Governo, como a chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente francês, François Hollande, ou o primeiro-ministro português, Pedro Passos Coelho. De sublinhar a ausência do chefe do governo britânico, o conservador eurocético David Cameron, que se fez representar pelo número dois da coligação que governa o Reino Unido, o liberal-democrata europeísta Nick Clegg.

Algumas vozes criticaram a atribuição deste Prémio. Além dos 27, e a zona euro em particular, estarem a atravessar um crise económica difícil, a principal crítica prende-se com o facto de vários países da União estarem entre os principais fornecedores de armas do mundo. Em jeito de resposta, a UE decidiu juntar um milhão de euros aos 930 mil euros do Prémio Nobel e aplicar este dinheiro em projetos que lidem com crianças em zonas de guerra.