Última hora

Última hora

EUA: Republicanos entre a espada e a parede

Em leitura:

EUA: Republicanos entre a espada e a parede

Tamanho do texto Aa Aa

Os membros do Congresso dos Estados Unidos não podem marcar férias porque as negociações para evitar o “abismo fiscal” parecem ter atingido um impasse.

A exigência dos republicanos para que a redução de impostos para os mais ricos – iniciada na era Bush – seja permanente, não é uma proposta válida para Barack Obama.

“Se Romney tivesse ganho as eleições, teria havido uma viragem à direita tanto na política como nas políticas americanas. Os cortes nos impostos previstos para acabar teriam continuado”, disse o economista Steven Weisman.

Existe uma divisão crescente entre os republicanos sobre a forma como avançar. Se uns ignoram a realidade política, outros preferem não serem vistos como protetores dos milionários.

“Ainda existe uma parte significativa do partido que não quer o aumento de impostos para os mais ricos, que não quer gastar dinheiro nos programas internos, mas sim cortar nesses programas e reformar direitos de uma maneira que o público em geral não concorda”, afirmou John Sides da Universidade George Washington.

Stefan Grobe, corresponde da Euronews nos Estados Unidos, faz uma breve análise do impasse vivido pelos congressistas republicanos.

“É quase uma situação de derrota para os Republicanos. Se cederem no aumento de impostos para os mais ricos serão ultrapassados pelo presidente Obama, se não cederem serão esmagados pela opinião pública.”