Última hora

Última hora

Armas: norte-americanos pedem legislação mais apertada

Em leitura:

Armas: norte-americanos pedem legislação mais apertada

Tamanho do texto Aa Aa

O massacre desta sexta-feira reavivou o debate sobre a regulamentação do uso e porte de armas nos Estados Unidos.

Em frente à Casa Branca foram muitos os que pediram ao presidente norte-americano mudanças na legislação.

Barack Obama mostra-se recetivo, mas pouco ou nada pode fazer sem o apoio dos republicanos decisivos na Câmara dos Representantes.

Os defensores de um maior controlo criticam a facilidade na aquisição de armas.

“No Estado da Virgínia, onde vivo, para comprar cerveja as pessoas têm de apresentar o bilhete de identidade para provar que têm 21 anos. Mas se quiser comprar armas – idênticas às que foram usadas esta sexta-feira não é preciso mostrar qualquer peça de identidade ou ter 21 anos. Há, portanto, uma certa incongruência na lei que muitos norte-americanos dizem não fazer sentido” afirma David Chipman consultor do MAIG, Mayors Against Illegal Guns.

Criminosos, imigrantes ilegais e pessoas com perturbações mentais estão, por exemplo, impedidos de comprar armas de fogo. Mas é certo que ninguém questiona a sanidade mental do comprador.

As armas encontradas no automóvel usado pelo atirador em Newtown – três no total – estavam registadas em nome da mãe, uma professora do ensino primário.